sábado, 23 de abril de 2011

Diga-me com quem andas 2: A Missão

Fidelidade segundo o Dicionário Aurélio:
1. Qualidade de fiel; lealdade. 
2. Constância, firmeza, nas afeições, nos sentimentos; perseverança. 
3. Observância rigorosa da verdade; exatidão. 

Fidelidade segundo o Dicionário dos nossos Políticos:
1. Verbete inexistente.

O recém criado PSD (Partido das Sobras do DEM?), criado pelo prefeito Gilberto Kassab, recebeu a filiação de 32 novos políticos. Mais da metade não sabe o significado de fidelidade partidária. Nos últimos três anos trocaram de legenda diversas vezes. O campeão da infidelidade é o deputado Junji Abe, de São Paulo, que já passou pelo PDS, PFL, PL, PFL, PSDB, DEM. Ao se filiar ao PSD, chega à sétima mudança de Partido. Imagino qual será a meta do parlamentar. Conseguir a nota DEZ?

Outros exemplos: Silas Câmara, do Amazonas, foi do PL para o PFL, PTB, PAN, PSC. José Carlos Araújo, da Bahia, circulou pelo PFL, PL, PR, PDT. Eliene Lima, do Mato Grosso, PDT, PSB, PP. O próprio Kassab começou no PL foi para o DEM e agora cria o seu partido. Resta saber se um dia ele irá abandoná-lo.

Os próprios nobres deputados decidiram, em 2007, que um político pode ser punido com a perda do mandato se abandonar sua legenda. Mas – sempre tem que haver um MAS – as trocas serão PERMITIDAS se o detentor do mandato provar que foi perseguido ou se houve descumprimento por sua legenda do programa ou estatuto... Ou – a opção do Kassab – se for criado um novo partido. Pronto. Isso significa que quem se bandear para esta nova sigla fica isento de eventuais processos na Justiça Eleitoral.

Será que quando os nobres políticos criaram essa regra levaram em conta o que pensaria o seu eleitor sobre essa infidelidade? É evidente que não. Definitivamente, a fidelidade partidária dos políticos não é a mesma de seus eleitores. Se eu voto no PXX, quero que o meu representante fique até o fim no PXX. Não quero que ele se bandeie para o PYY que pode não representar as mesmas ideias pregadas pelo PXX que ajudei a eleger.

Senhores nobres eleitores, hoje li que Gabriel Chalita deve se bandear para o PMDB para concorrer à prefeitura de São Paulo na próxima eleição. Como ficam seus eleitores – não é o meu caso – que o elegeram para representá-los no PSB? Traídos, é claro. Traídos? Ah, nobres eleitores, no dicionário dos políticos Fidelidade Partidária é verbete inexistente.

2 comentários:

  1. Desculpe-me, mas a maioria dos brasileiros se quer consulta o dicionário.

    ResponderExcluir
  2. Que barraco...!

    Muito obrigada pelo excelente escrito.

    ResponderExcluir